Lutando pela Fé Evangélica. "Procura apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a Palavra da Verdade" 2 Tim 2.15

"As Escrituras é o fundamento da igreja; a igreja é a guardiã das Escrituras. Quando a igreja é saudável e vigorosa, a luz das Escritu...

"As Escrituras é o fundamento da igreja; a igreja é a guardiã das Escrituras.

Quando a igreja é saudável e vigorosa, a luz das Escrituras brilham; quando a igreja está doente, as Escrituras são corrompidas pela negligência..."

- Albert Bengel - citado do livro Toward an Exegetical Theology de Walter Kaiser Jr.

Qual o dia mais importante da sua vida? Se fizessemos esta pergunta a diversas pessoas teríamos inúmeras respostas, como estas: o dia do me...

Qual é o dia mais importante?

Qual o dia mais importante da sua vida?

Se fizessemos esta pergunta a diversas pessoas teríamos inúmeras respostas, como estas:
  • o dia do meu casamento;
  • o dia em que o meu time foi campeão;
  • o dia da minha formatura;
  • o dia em que meus filhos nasceram;
  • o dia em que consegui comprar a tão sonhada casa;
  • o dia em que me formei;
  • etc...
Realmente estes eventos são importantes, são datas e eventos marcantes na vida de uma pessoa, datas relembradas e inesquecíveis.

Estes dias sempre são relembrados e comemorados com muita alegria. Estes eventos marcaram a nossa vida e, de certa forma, deram um rumo.

Recordamos sempre e nos alegramos ao relembrar tais feitos. Agora, pense comigo: Qual o dia mais importante que já houve na terra? Que evento é tão marcante?

Novamente as pessoas citariam vários eventos:
  • O dia em que Deus criou o homem
  • O dia em que o homem chegou à lua
  • O dia em que terminou a Segunda Grande Guerra
  • O dia em que Moisés saiu com o seu povo do Egito
  • O dia em que foi criada a ONU
  • etc...
Teríamos várias datas que poderíamos catalogar como as mais importantes deste nosso planeta.

Todas importantes e marcantes. Mas tem uma que eu deixei de propósito, e vocês podem imaginar qual é: o nascimento de Cristo. Esta é uma data que quase todo o ocidente comemora.

Em nosso país, no começo de Novembro as lojas, os shoppings, as cidades já começam a colocar o seu enfeite na rua. Na televisão, na internet, em todo o lugar há uma menção ao Natal. O mais curioso é que o aniversariante, passa quase despercebido. Nos enfeites encontramos um velhinho, o bom velhinho, conhecido como papai Noel, prometendo presentear a todos. Encontramos, neve, bichinhos de pelúcia, árvores, enfeites lindos e muito bem feitos. Dá até gosto de ir ver. Em alguns lugares, as famosas músicas de Natal são tocadas a exaustão. A maioria das pessoas até conhecem a sua melodia, mas poucos conhecem as suas letras.

Até as igrejas, que deveriam relembrar de forma especial esta data, fazem uma confusão danada ao misturar os conceitos de hoje, com a verdadeira história.

Entretanto, o primeiro Natal não foi assim. O primeiro Natal, o dia em que nasceu o filho de Deus, o Salvador do mundo, poucos comemoraram. Era um dia comum para os judeus, um dia comum para os seres humanos, tão comum que na hora do parto, o Rei dos reis nasceu em um curral, e foi colocado em um coxo (uma manjedoura). Naquela noite, especial não havia festa na terra, não havia presentes, não havia uma ceia farta, não havia uma falsa alegria.

Naquela noite, poucas pessoas tiveram o privilégio de conhecer e presenciar o nascimento do Messias. Alguns pastores, José e Maria.

Naquela noite nasceu aquele que mudaria para sempre a nossa vida, aquele traria a salvação àqueles que crescem nele.

Neste Natal, ao se reunir naquela noite, relembre a pessoa de Jesus, o Filho de Deus, o Salvador. Adore ao Senhor pelo que Ele é, pelo que Ele fez e pelo que Ele tem permitido em sua vida.

O Natal, o verdadeiro Natal é um dos dias mais importantes que a terra teve, o dia em que o Verbo se carne e habitou entre nós (João 1.14).

Há alguns meses escrevi sobre a vida disciplinada. Agora, gostaria de falar um pouco de como isso pode ser aplicado à vida do professor cr...

Caracteristicas de um bom professor - Disciplinado 2 Parte


Há alguns meses escrevi sobre a vida disciplinada.

Agora, gostaria de falar um pouco de como isso pode ser aplicado à vida do professor crente em Cristo.

Seu Estudo Pessoal

O estudo diligente faz parte de todo o professor. Estudar faz parte da vida de um bom professor.

Todos sabem que estudar é um desafio e muitas vezes em nossa vida corrida e agitada, parece que não sobra muito tempo para estudar.

Gostaria de compartilhar algumas dicas simples que podem nos ajudar em nosso tempo de estudo.

Tenha sempre um livro para ler

Nos últimos anos muitos livros foram lançados pelas editoras brasileiras. Muitos deles questionáveis, mas outros muito bons.

Se você quer sempre aprender mais, reserve sempre um bom livro para ler. Vá a sua livraria de preferência e escolha um bom título.

Em nosso site há várias dicas de livros que já foram lançados e que podem lhe interessar.

Aproveite os espaços em seu dia

Ao longo de nossos dias, sempre temos um espaço de tempo onde podemos investir em alguma leitura. Eu costumo chamar isso de espaços que eu tenho durante o meu dia, como por exemplo, filas de banco, salas de espera, ônibus, metrô, ou seja, locais onde você tem um certo tempo ocioso e pode investir em leitura.

Reserve tempo para estudar

Mesmo que você não esteja dando aula, reserve um tempo por semana onde você vai estudar. Neste período, procure um lugar tranquilo, onde você possa sem pressa, estudar um assunto que é importante para você.

Escolha um local de sua casa onde você não vai se distrair com nada e pode estudar. Para isso, faça um planejamento semanal, das suas atividades, onde você reservará esse tempo para isso.

Aprenda a fazer anotações

Aprenda a anotar coisas que lhe chamam a atenção em seus estudos, em suas leituras, etc. Crie o hábito de anotar as mensagens que ouve em sua igreja. Esta disciplina nos ajuda a nos concentrar em pensar nas implicações do que ouvimos. Com ela, podemos refletir sobre elas durante a semana e podemos ter um bom acervo de estudo que podemos consultar sempre que precisarmos.

Descanse

Muitas vezes percebo que não rendo tudo o que poderia por estar muito cansado. E este cansaço decorre de um mau uso de meu tempo. Nessas horas tenho que me disciplinar e dormir mais cedo, ver menos TV. O descanso nos ajuda a repor as forças para o dia seguinte e para a semana que se inicia. As vezes, fazer algo que não está em nossa rotina de trabalho é uma boa maneira para descansarmos a mente, tais como lavar a louça, ajudar na arrumação da casa, coisas assim.

Aprenda a usar uma agenda

Não deixe as coisas em sua mente, anote em sua agenda.

A agenda é um excelente instrumento de organização do tempo. Com ela podemos ver como vamos nos organizar no dia, na semana, no mês, e ao longo do ano. Ela nos ajuda a ver como estamos usando o nosso tempo e como podemos usá-lo melhor. Ela nos ajuda a nos disciplinar e priorizar o que é realmente importante. Ela te ajuda a dizer não para compromissos desnessários e eventos que as pessoas querem impor a você.

Bem estas são algumas dicas. Espero que elas o ajudem e em seu estudo pessoal.

O Programa de Aprofundamento Teológico - PAT é um treinamento oferecido pela Igreja Batista Pedras Vivas - IBPV com o propósito de cap...

Programa de Aprofundamento Teológico

O Programa de Aprofundamento Teológico - PAT é um treinamento oferecido pela Igreja Batista Pedras Vivas - IBPV com o propósito de capacitar, com excelência, homens e mulheres para interpretar e aplicar corretamente as Escrituras, a fim de que sejam líderes e professores que atuem em suas igrejas locais de modo diligente e eficaz, visando a transformação das vidas à imagem e semelhança de Cristo Jesus.

O programa completo de três anos de treinamento. A cada ano de treinamento serão oferecidas três matérias. Uma matéria é composta por três aulas, totalizando aproximadamente 21 horas/aula por matéria.

O conteúdo programático é o seguinte:
  • Primeiro Ano: Doutrinas, Panorama do Antigo Testamento e Panorama do Novo Testamento;
  • Segundo Ano: Teologia Bíblica do Antigo Testamento, Teologia Bíblica do Novo Testamento e História da Igreja;
  • Terceiro Ano: Teologia Aplicada, Teologia/Igreja Contemporânea e Didática.

As aulas serão ministradas nas dependências da IBPV, começando as 8h30m e terminando as 17h00m sempre aos sábados. O seu investimento para participar deste treinamento será de apenas R$ 40,00 por encontro mais o material didático.

Para mais informações de como se inscrever entre em contato com Davi ou Miriã nos telefones (11) 4177.2942 ou (11) 4365.2231 ou ainda através do e-mail pat@pedrasvivas.com.br.

Continuando nas dicas para a escolha de um bom livro vamos dar mais algumas dicas. Não compre o livro somente pela capa Geralmente a mai...

Como Escolher um Livro - 4


Continuando nas dicas para a escolha de um bom livro vamos dar mais algumas dicas.

Não compre o livro somente pela capa

Geralmente a maioria das editoras tem um cuidado todo especial com a capa de um livro. Desde a escolha do título mais apropriado, o design, tamanho da fonte, dentre outras coisas.

Boas capas não garantem bons conteúdos. Elas podem ser muito bem feitas, serem atraentes, mas o seu conteúdo pode ser pobre ou mesmo ruim.

Isso não quer dizer que bons livros não tem boas capas. Ou mesmo que sou contra o capricho nas capas. Muito pelo contrário, creio que ambos podem e devem estar juntos. Mas somente a capa não garante o bom conteúdo.

Não compre o livro pelo nome do autor

Há livros em que o autor não escreve tão bem quanto outro, ou outros livros que ele já tenha escrito no passado.

Há livros que eu poderia dizer que são requentados, ou seja, ele escreveu um livro muito bom e os outros são variações do mesmo tema, com pouco conteúdo novo.

Procure analisar, como já descrevemos acima, o conteúdo do livro que tem em mãos.

Não compre porque simplesmente ele é bem vendido

Livros que são bem vendidos nem sempre são bons livros em conteúdo teológico. É claro que isso não é uma regra, mas geralmente tais livros falam daquilo que as pessoas querem ouvir, e não daquilo que as pessoas precisam ouvir. Como temos um mundo evangélico muito heterogêneo, temos que ter cuidado com tais literatura.

Novamente, isso não é regra, pois existem bons livros que vendem bem e tem um bom conteúdo. Como acima, vale a dica de analisar o livro com mais cuidado.

Estas são algumas frases que vinham nos antigos livros da Editora Vida. Quem lê... Sabe Mais Pensa Melhor Compara Idéias Prepara-se Melhor...

Quem Lê...

Estas são algumas frases que vinham nos antigos livros da Editora Vida.

Quem lê...
  • Sabe Mais
  • Pensa Melhor
  • Compara Idéias
  • Prepara-se Melhor
  • Tem o que Falar
  • Tem o que Responder
  • Fundamenta as suas Opiniões
  • Aumenta a sua Compreensão

Eis mais algumas dicas de como escolhe um livro Leia algumas partes do livro que mais lhe chamam a atenção. Depois de ler o prefácio e d...

Como Escolher um Livro - 3

Eis mais algumas dicas de como escolhe um livro

Leia algumas partes do livro que mais lhe chamam a atenção.

Depois de ler o prefácio e dar uma olhada no sumário, escolha um capítulo para ler alguns parágrafos.

Isto ajuda a perceber como o autor lida com o assunto, a sua maneira de escrever e explorar o tema.

Não é necessário ler o capítulo inteiro mas algumas partes. Esta leitura de relance e com atenção ajuda muito na escolha da leitura.

Procure outros livros no mesmo tema

Geralmente as livrarias separam os seus livros por tema. Então esta é uma boa oportunidade para olhar outros livros que também tratam do mesmo tema. As vezes o livro pode ter uma apresentação mais simples (capa, diagramação, etc), mas o seu conteúdo é muito valioso.

Olhe com cuidado, compare os temas abordados, conteúdo e como ele é desenvolvido.

Repare como ele aborda as Escrituras

O fato de um livro ser chamado evangélico, não o torna doutrináriamente são. O fato de ser recheado de versículos não o torna bíblico. Não é incomum encontrarmos livros com muitos textos bíblicos e pouco conteúdo. Muitas passagens e a maioria delas mau usada e aplicada.

Portanto, a ter um livro em mãos, seria importante notar como ele usa as Escrituras, ou melhor, como ele a aborda e a interpreta.

Bons livros fazem boas exposições do texto bíblico, mostrando como ele está inserido em seu contexto cultural, histórico e gramatical. Ele sabe usar os textos bíblicos de forma apropriada.

Bons livros seguem alguns princípios simples de interpretação:
  • A Bíblia interpreta a Bíblia
  • Os textos bíblicos devem ser entendidos dentro do seu contexto
  • Há somente uma interpretação e várias aplicações.
  • Não existe uma mensagem escondida por trás das palavras, antes, elas devem ser entendidas normalmente, ou seja, da forma como foram escritas.
As grandes confusões teológicas acontecem por causa de uma má interpretação das Escrituras e uma péssima aplicação.

Bem estas são algumas dicas, elas não são completas mas ajudam na escolha do livro. Elas não garantem que você não vai se decepcionar com o livro, mas o ajudam a identificar com mais calma e conhecer um pouco mais da literatura que está em suas mãos.

Bem, como vocês mesmos viram nem sempre é tão simples escolher um livro. Mas eu espero que estas simples dicas o ajudem na escolha dos seus próximos livros.

Vamos a mais algumas dicas para a escolha de um livro. São mais duas dicas bem práticas que o ajudam na escolha dos seus livros. Leia o pr...

Como escolher um livro - 2


Vamos a mais algumas dicas para a escolha de um livro. São mais duas dicas bem práticas que o ajudam na escolha dos seus livros.

Leia o prefácio

No prefácio, que geralmente não deve ser muito longo, geralmente os autores colocam resumidamente a proposta do livro.

Ali, os autores procuram colocar em poucas palavras o tema do livro e sua proposta, como surgiu aquele livro.

Leia o Sumário

Outra área a ser pesquisada no livro é o sumário, mais conhecido por índice. Nele, podemos ver quais os temas que o autor vai tratar ao longo do seu livro. No índice temos um breve resumo do livro, bem como onde o autor investiu (qual tema é mais elaborado).

Espero que elas o ajudem na escolha dos seus futuros livros.

Estas são mais algumas dicas de bons livros que podem ser presenteados neste natal. Hoje vou indicar dois livros do Famoso C.S. Lewis. Cr...

Dicas de Presente de Natal

Estas são mais algumas dicas de bons livros que podem ser presenteados neste natal.

Hoje vou indicar dois livros do Famoso C.S. Lewis.


Cristianismo Puro e Simples.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a BBC convidou C. S. Lewis para fazer uma série de palestras pelo radio. Foram programas que, ao final, deram um sentido novo a vida de milhares de adultos de todas as classes e profissões. O livro Cristianismo Puro e Simples, que colige essas prelecões legendarias, veio a ser considerado a mais popular e acessível de todas as obras de Lewis, lembrando-nos daquilo que é mais importante na vida e apontando-nos o caminho da alegria e do contentamento.


Cartas de Um Diabo ao seu Aprendiz

Dedicada ao seu amigo J. R. R. Tolkien, esta obra-prirna da ironia divertiu e ins-truiu milhões de leitores com seu retrato zombeteiro e irônico da vida humana fei-to a partir do ponto de vista do diabo Fitatuso. Ao mesmo tempo frenetica-mente cômica e surpreendentemente original, a correspondência entre o experiente diabo e o seu sobrinho Vermebile mostra o lado mais sombrio e jocoso de C. S. Lewis.

Estes dois livros foram muito bem escritos, apesar de sua forma ser diferente (sendo o primeiro um estudo bíblico e o segundo, uma ficção), tem muito a contribuir e edificar a sua vida.

As suas reflexões são perspicázes e relevantes para os dias de hoje.

Para conhecer melhor estes livros, acesse o site Biblioteca Evangélica ou vá direto nas páginas dos livros - Cristianismo, puro e simples e Cartas do Diabo

Geralmente as pessoas me procuram pedindo dicas de leitura de bons livros. Vou começar a alistar em alguns posts algumas dicas que me ajud...

Como escolher um livro - 1

Geralmente as pessoas me procuram pedindo dicas de leitura de bons livros.

Vou começar a alistar em alguns posts algumas dicas que me ajudam muito.

Pergunte a um amigo (um crente maduro) sobre o que ele está lendo.

Esta é uma sugestão bem prática que nos ajuda na escolha de um livro para ler. Algumas pessoas gostam muito de ler e sabem identificar quais são os bons livros que existem por aí.

Suas dicas sempre serão valiosas e importantes. Pastores, professores, homens e mulheres piedosos sempre procuram bons livros para leitura.

Procure conhecer um pouco mais sobre a vida do autor

Geralmente os livros tem uma breve descrição de quem é o autor (ou autores) do livro. Eles trazem uma breve descrição de onde ele estudou, o que ele faz (ou fez), e em alguns casos outros livros que ela já tenha escrito.

Essas dicas nos ajudam a identificar um pouco qual é sua linha teológica e por onde ele provavelmente caminhará.

1. A cada um de nós foi confiada à mesma quantidade de tempo 2. O plano de Deus provê tempo suficiente para a realização de Sua di...

O uso do tempo - algumas dicas

1. A cada um de nós foi confiada à mesma quantidade de tempo

2. O plano de Deus provê tempo suficiente para a realização de Sua divina vontade para aquele dia.

3. Deus espera de nós, a cada dia, somente aquilo que é razoável e estiver dentro de nossa capacidade

4. As nossas prioridades, cuidadosamente relacionadas não devem entrar em conflito com nossos deveres óbvios.

5. Os conflitos e pressões que experimentamos, geralmente surgem de confundirmos os desejos ou pressões humanas – nossos próprios ou os de outrem – com os deveres que Deus espera que cumpramos.

6. O tempo é valioso demais para ser gasto em questões secundárias quando os assuntos primários estão gritando por atenção.


Continuando nossas reflexções sobre algumas caracteristicas de um bom professor, gostaria de destacar mais uma. O bom professor é um apren...

Características de um Bom Professor - Aprendiz

Continuando nossas reflexções sobre algumas caracteristicas de um bom professor, gostaria de destacar mais uma.

O bom professor é um aprendiz

Ensinar não é uma das tarefas mais simples e para tanto exige de quem se aventura nesta tarefa dedicar-se com muito afinco.

Mas antes de pensar em ensinar, o professor precisa estar disposto a aprender. Um bom professor que deseja ser usado por Deus na vida daqueles lhe confiou, mas acima de tudo, ele precisa ser humilde e ensinável.

A grande dificuldade dos professores é que muitos deles não são aprendizes. Gostam de ensinar, mas não querem ter o ônus de estudar e aprender.

Gostaria de sugerir várias formas pelas quais podemos e devemos aprender. Sei que estas sugestões não são as únicas, mas creio que são alguns meios que Deus nos deu para que também aprendessemos.

Aprenda com as pesssoa mais velhas e maduras em Cristo

As pessoas mais velhas tem muito a nos ensinar. Mas quando me refiro aos mais velhos tenho em mente uma pessoa que tem buscado servir ao Senhor e desenvolvido uma vida de piedade. Pessoas que vivem com Deus e são um exemplo de vida pela sua comunhão com Deus.

Sua busca por uma vida piedosa, sua luta pela santidade deveriam ser um incentivo para nós.

Podemos aprender com os crentes que estão ao nosso reder, bem como com aqueles que já viveram neste mundo (Hb 12.1-2). A leitura da biografia dos homens piedosos do passado são um estímulo e um meio de aprendermos com eles também.

Não se contente com aquilo que você imagina que já conhece ou domina

Em sua caminhada diária com Deus, o bom professor sempre procura aprender mais. Ele não se contenta com o que já sabe, mas está sempre se avaliando a procura do que ele pode e deve ainda aprender.

Ele sabe que ainda não atingiu a perfeição e tem muito ainda para caminhar (Fp 3.12-14). As doutrinas, os ensinos antigos, sempre são revisados em sua mente, procurando sempre mais excelência.
Portanto, não se contente com o que julga saber, mas procure sempre aprender mais.

Estude regularmente as Escrituras

Os grandes homens de Deus que mais impactaram o mundo, foram homens que tinham um compromisso pessoal com o estudo da Bíblia.

Eles faziam deste tempo, um momento de reflexão, avaliação e busca por conhecer a Deus mais intimamente.

Daniel e Paulo são dois grandes exemplos disso. Mesmo idosos, o estudo das Escrituras fazia parte de seu cotidiano (Dn 9.1-2, 2Tm 4.13).

Leia bons livros

A leitura de bons livros, com boa teologia é outro meio de aprender mais. Nestes últimos anos bons livros tem sido publicados em diversos segmentos.

Eles são fonte de enriquecimento, de crescimento e ajudam a apreder mais.

A leitura, a boa leitura é um dos melhores hábitos que o ser humano pode desenvolver.

Frequente regularmente a sua igreja local

A igreja local é o organismo dado por Deus para que cresçamos em Cristo. Nela aprendemos a através dos sermões, dos estudos bíblicos, cursos, e também por meio dos relacionamentos que temos com os nossos irmãos em Cristo.

Não seja um frequentador da igreja, mas um participante, aproveitando não só para ensinar, mas também para aprender com os seus irmãos em Cristo (Hb 10.25).

Tenha amigos leais

Quem são seus amigos mais leais? Um grande amigo meu, afirma que seus melhores amigos não aqueles que lhe dão tapinhas nas costas, mas aqueles que lhe mantém atentos para as suas falhas e pecados.

Bons amigos nos conhecem bem e nos ajudam a lutar com as nossas fraquesas e crescer por meio delas.

Bons amigos nos estimulam a uma vida piedosa e com amor nos advertem para nossos erros e pecados.

Bons amigos nos animam quando precisamos e nos ajudam a manter o foco (Pv 17.17; 27.17).

Seja humilde

Um bom aprendiz é uma pessoa humilde. Ele conhece as suas limitações e reconhece que há pessoas mais capacitadas que ele.

Ele também entende que pode aprender com os outros, mesmo quando este tem menos conhecimento que ele.

Ele entende que está num processo e que precisa mudar muito. Quando ensina, reconhece que o que ele está dizendo também se aplica a sua vida (Tg 4.6).

Não confie em suas habilidades e capacidades, seja humilde o suficiente para reconhecer que mesmo elas são dádivas do Senhor.

Tenha o alvo correto

O desejo de aprender, de estudar e por conseguinte ensinar deveria estar ligado à motição correta.

Muitos buscam o sucesso, o reconhecimento dos outros, a satisfação pessoal.

Creio que o maior motivo para um aprendiz e lutar para ser como Jesus.

Seu alvo deveria ser sempre este. Suas avaliações deveriam passar por esta pegunta: isto que estou fazendo me torna mais parecido com Jesus?

Este sim é o bom alvo de todo aprendiz, ser como Cristo (Lc 6.40, Rm 8.29).

Aprender a avaliar-se é um dos maiores desafios que o ser humano tem. Geralmente temos a tendência de avaliarmos os outros. Relevamos os n...

Avaliando a si Mesmo

Aprender a avaliar-se é um dos maiores desafios que o ser humano tem.

Geralmente temos a tendência de avaliarmos os outros. Relevamos os nossos próprios pecados, justificamos os nossos atos, e até damos nomes mais "ligths" para eles. Jonathan Edwards foi um dos homens que também lutou com isso. Deixo abaixo um desafio para cada um de nós.
Eis os seus conselhos de como podemos e devemos nos avaliar.

Faça Sempre uma a auto-reflexão por meio da Palavra de Deus.
  • Ao ler a Bíblia ou ouvir sermões, reflita e compare os seus caminhos com o que você ouviu ou leu. Pondere que harmonia ou desarmonia existe entre a Palavra de Deus e seus caminhos.
  • Ao ler os mandamentos dados por Cristo e seus apóstolos, pergunte se vive de acordo com essas regras? Ou vive de maneira contrária a elas?
  • Ao ler histórias da Bíblia relatando os pecados e os culpados, faça uma auto-reflexão enquanto avança na leitura. Pergunte a si mesmo se é culpado de pecados semelhantes.
  • Ao ler como Deus reprovou o pecado de outros e executou julgamentos por seus pecados, questione se você merece punição semelhante.
  • Ao ler os exemplos de Cristo e dos santos, questione se você vive de maneira contraria aos seus exemplos.
  • Ao ler sobre como Deus louvou e recompensou seu povo pela suas virtudes e boas obras, pergunte se você merece a mesma benção.

Avalie os seus atos

  • Se você faz coisas que geralmente são evitadas por pessoas perspicazes e maduras, tenha um cuidado especial em questionar-se se tais atos poderiam ser pecaminosos.Seria prudente de sua parte considerar conscientemente se isso desagrada a Deus.

  • Quando a coisa é condenada por pessoas piedosas, com certeza isso parece suspeito.

Que lembranças você terá

  • Pergunte a si mesmo se no seu leito de morte terá lembranças agradáveis em relação à maneira que vive.Solenemente pergunte a si mesmo e veja se está fazendo algo agora que pode trazer problemas quando estiver no leito de morte.
  • Pense em seus caminhos e examine a si mesmo com a expectativa sensata de logo partir deste mundo para a eternidade.

Considere o que os outros podem dizer de você

Embora as pessoas estejam cegam quanto às suas próprias faltas, facilmente descobrem os erros dos outros. Devemos ouvir o que os outros dizem de nós, observar do que eles nos acusam, atentar para que erro que encontram em nós e com diligência verificar se há algum fundamento nisso.

Se outros nos acusam de qualquer coisa, deveríamos honestamente nos questionar se isso é verdade. Podemos pensar que a acusação é totalmente infundada e podemos pensar que os motivos ou o espírito do acusador estão errados, mas a pessoa perspicaz verá isso como uma ocasião para um auto-exame.

Devemos ouvir especialmente o que nossos amigos dizem de nós e sobre nós.Também deveríamos atentar para as coisas que nossos inimigos nos acusam:Nossos inimigos atacam onde somos mais fracos e mais defeituosos.

Mesmo quando foi feito de modo errado, pode ser que haja uma verdade nisso.Não importa a maneira como as pessoas falam e o que falam de nós. A resposta certa é a auto-reflexão.


Ao notar os erros nos outros, verifique se tem as mesmas deficiências

Ao notar os erros nos outros, seus atos impróprios, atitudes rudes, ou um comportamento inadequado – reflita.

  • Avalie se não um erro semelhante na sua conduta ou atitude.
  • Avalie como os outros são cegos em relação aos seus próprios pecados e pergunte a si mesmo se você sofre do mesmo tipo de cegueira.
Você sabe que as pessoas são cegas pelas suas próprias paixões. Os mesmos apetites e paixões carnais da mente já o enganaram?

Questione se sua ligação com este mundo pode estar lhe cegando de tal forma que o leve a justificar coisas na sua vida que não estão certas.

Veja como os outros estão cegos pelo mundanismo.Você tem o mesmo coração enganos e desesperadamente corrupto para certas práticas.

Adaptado do livro: Sociedade sem pecado – John MacArthur, Jr

Apegue-se ao trabalho. Não recue porque o leão ruge; não pare de jogar de pedras nos cachorros do diabo; não perca tempo caçando os coelhos ...

Mantendo o Foco Correto

Apegue-se ao trabalho. Não recue porque o leão ruge; não pare de jogar de pedras nos cachorros do diabo; não perca tempo caçando os coelhos deste. Faça o seu trabalho. Deixe os mentirosos e suas mentiras, deixe os sectários discutirem, deixe os críticos maldizerem, deixe os inimigos acusarem, deixe o diabo fazer o pior; mas cuide para que nada o impeça de cumprir com alegria o seu trabalho que Deus lhe incumbiu.

Ele não o mandou ser admirado ou estimado, e nunca ordenou que defendesse seu caráter. Ele não posicionou para contradizer as falsidades (acerca de você mesmo) que os servos de Satanás ou de Deus talvez comecem a espalhar, nem para investigar cada rumor que ameace sua reputação. Se você agir assim, não obterá resultados satisfatórios; estará trabalhando para si mesmo, não para o Senhor.

Mantenha-se no trabalho do Mestre. Que seu alvo seja fixo como uma estrela. Você pode ser assaltado, injuriado, insultado, caluniado, ferido e rejeitado, incompreendido ou acusado de motivações impuras; bem como afrontado pelos inimigos, traído pelos amigos, desprezado, rejeitado pelos homens. Mas tenha determinação e zelo inabalável, a fim de perseguir o grande propósito e objetivo de sua existência, até que finalmente possa dizer: “Completei o trabalho que Tu me deste”

Anônimo – citado do livro Ministério Pastoral
de John McArthur, pg.36

"Quando garoto, morava num bairro da Filadélfia que era muito resistente ao evangelho. Dizia-se que era impossível fundar uma igreja ev...

Um Forte amor pelo Ensino

"Quando garoto, morava num bairro da Filadélfia que era muito resistente ao evangelho. Dizia-se que era impossível fundar uma igreja evangélica ali. Mas parece que Deus tem um extraordinário senso de humor com relação à afirmação de que isto ou aquilo é impossível. Ele inspirou um pequeno grupo de crentes para que se reunissem, comprassem uma casa e ali fundassem uma igreja.

Nela havia um homem de nome Walt, que cursara apenas até a sexta série. Certo dia ele disse ao superintendente da escola dominical que queria ensinar uma classe. O outro lhe replicou:

- Ótimo, mas no momento não temos uma classe para você.

Como Walt insistisse, o superintendente disse:

- Bom, então você terá que sair por aí e arranjar alunos. Todos os que você convidar e trouxer aqui serão seus alunos.

E Walt saiu pelo bairro. Na primeira vez que se aproximou de mim, eu estava jogando bolinhas de gude na calçada.

- Garoto, disse ele, gostaria de ir a uma escola dominical?

Não me interessei nem um pouco. Se tinha o nome de escola não poderia ser coisa boa. E ele continuou:

- Que tal um joguinho, nós dois?

Ah, aí a conversa já era outra. Pusemo-nos a jogar e passamos uns ótimos momentos ali, embora ele tivesse ganhado tudo de mim. Mas, àquela altura, eu seria capaz de segui-lo onde me levasse.

Walt conseguiu reunir treze garotos do bairro para formar sua classe de escola dominical. Nove deles eram filhos de casais separados. Hoje, onze desses meninos acham-se engajados no serviço cristão em tempo integral.

Para ser sincero, não seria capaz de citar muita coisa do que ele nos disse, mas dele próprio posso dizer muita coisa, porque aquele homem me amou com o amor de Cristo. Amou-me mais do que meus pais.

Ele costumava dar longos passeios conosco, e aquele belos momentos ficaram gravados em minha mente. Não tenho dúvida de que nós lhe demos muito trabalho, agravando mais o problema cardíaco que o afligia. Mas ele andava por aqueles lugares porque nos amava.

Não era o homem mais inteligente do mundo, mas era sincero. Vivia o que pregava. Percebi isto claramente, e tenho certeza de que outros garotos também o notaram."

Trecho do Livro: Ensinando para Transformar Vidas, pg. 10,11 Howard Hendricks, Ed. Betânia

“nada melhor para o desenvolvimento da mente que a contemplação da divindade. Trata-se de um assunto tão vasto, que todos os nossos pensamen...

O Estudo de Deus

“nada melhor para o desenvolvimento da mente que a contemplação da divindade. Trata-se de um assunto tão vasto, que todos os nossos pensamentos se perdem na sua imensidão; tão profundo que nosso orgulho desaparece em sua infinitude...

Quando chegamos a essa ciência superior e descobrimos que nosso fio de prumo não consegue sondar sua profundidade e os nossos olhos de águia não podem ver sua altura vemos quão pequenos somos e nada sabemos. Nenhum tema contemplativo tente a humilhar mais a mente que os pensamentos sobre Deus.

Ao mesmo tempo, porém que este assunto humilha a mente, ele também expande.

Aquele que pensa com freqüência em Deus, terá a mente mais aberta do que alguém que apenas caminha penosamente por este estreito globo...O melhor estudo para expandir a alma é a ciência de Cristo, e este crucificado, e o conhecimento da divindade na gloriosa trindade...

Ao mesmo tempo em que humilha e expande, este assunto é eminentemente consolador. Na contemplação de Cristo, existe um bálsamo para cada ferida; na meditação sobre o Pai, há consolo para todas as tristezas, e, na influência do Espírito Santo alivio para todas as mágoas...”

Mensagem proferida em 7 de janeiro de 1855, por Charles Randon Spurgeon

Estraído do Livro: O conhecimento de Deus, J.I. Packer, pg. 17-18 Editora Mundo Cristão

Se desejam ser capazes de ver o amor de Deus neste grande processo, precisam considerar como Ele deu Seu Filho. Ele não deu Seu Filho, como ...

O Amor de Deus

Se desejam ser capazes de ver o amor de Deus neste grande processo, precisam considerar como Ele deu Seu Filho. Ele não deu Seu Filho, como vocês talvez tenham feito ou venha a fazer, para alguma profissão ou carreira, e através da qual vocês talvez ainda possam desfrutar da sua companhia; mas Ele enviou Seu Filho para o exílio entre os homens. Ele O enviou àquela manjedoura, em forma humana perfeita, mas a princípio como uma criança. Ali Ele dormia, onde o gado se alimentava. O Senhor enviou o herdeiro de todas as coisas para labutar numa oficina de carpinteiro, usando o martelo, a serra e a plaina. Ele O enviou para o meio de escribas e fariseus, cujos olhos astutos O observaram, e cujas línguas cruéis O açoitaram com calúnias do mais baixo nível. Ele O mandou para sofrer fome e sede, e para viver em pobreza tal que não tinha onde encostar a cabeça. Ele O enviou ao mundo para ser vergastado e coroado de espinhos, dando as costas aos flageladores e a face aos que Lhe arrancaram a barba. Finalmente Deus O entregou à morte — uma morte de criminoso, morte por crucificação. Contemplem a cruz e vejam a angústia dAquele que morreu sobre ela; e vejam como o Pai O entregou — até o ponto de esconder Seu rosto dEle, e agir como se não tivesse nada a ver com Ele! "... lamá sabactâni" nos revela quão completamente Deus deu Seu Filho para redimir as almas dos pecadores. Ele O entregou para ser feito maldição por nós — deu-O para que morresse, "o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus".
Extraído do livro Amor Imensurável, ed. PES.
Mensagem proferida por C.H. Spurgeon em 07 de Julho de 1885

O profeta Daniel é lembrado por todos nós como um dos grandes profetas das Escrituras e os eventos incríveis de sua vida. Lembramos de Danie...

A Vitalidade da Fé

O profeta Daniel é lembrado por todos nós como um dos grandes profetas das Escrituras e os eventos incríveis de sua vida. Lembramos de Daniel como o homem que revelou os sonhos a Nabudonossor. Lembramos de Daniel na cova dos Leões, e também de seus amigos na fornalha acesa.
Porém, há um evento em sua vida que é tão importante em sua e revela como um homem pode se manter fiel a Deus, a despeito do local onde ele vive e trabalha por tantos anos.
No final de sua vida, com aproximadamente 80 anos, lemos esse pequeno parágrafo em seu livro: "...no primeiro ano de seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros, que o número de anos que falara Jeremias....era de setenta anos" (Daniel 9.2). Este é um dos trechos de seu livro que passa despercebido, pois logo abaixo há uma oração piedosa e marcante feita por ele. Entretanto, se olharmos com mais atenção veremos um fator importante na vida de Daniel. Mesmo idoso, tendo passado por tantos reinos e anos buscando e servindo a Deus, ele ainda mantinha um costume, uma atitude que fez dele um homem especial (piedoso). Ele ainda estudava as Escrituras.
Certa feita, em uma viagem, um jovem se encontrou com um grande pregador de seu país. Um homem conhecido por sua mensagem e por sua vida. Ao encontrar-se com ele perguntou qual era o grande segredo de uma vida tão piedosa e uma mensagem tão poderosa. Ao que o pregador respondeu. Enquanto você gastar mais tempo com esta revista que com este livro (a Bíblia), saberá mais coisas a respeito desta revista do que deste livro. Daniel entendia o valor do estudo pessoal das Escrituras e isso fez diferença em sua vida.

Numa época de grande indulgência evangélicos de todo parte tem abandonado a prática do discernimento, aceitando todo tipo de conceitos anti...

Ouro de Tolo?


Numa época de grande indulgência evangélicos de todo parte tem abandonado a prática do discernimento, aceitando todo tipo de conceitos antibiblicos que causam confusão onde conscendência com o erro. Todavia, a Palavra de Deus deixa claro que nem tudo que reluz é ouro. Falsos ensinos estão em cada esquina, e a tentação de aceitá-los é grande. Como povo de Deus, somos chamados a analisar o imenso número de tradições e tendências, usando a Escritura para determinar quais são verdadeiros tesouros e quais são ouro de tolo.John Mac Arthur e seus contribuidores apresentam de forma clara os princípios do discernimento bíblico, usando-os para abordar diversos assuntos que tem inquietado os evangélicos contemporâneos.


Conheça outros livros no site: Biblioteca Evangélica
Veja mais deste livro: Ouro de Tolo?

Após alguns meses parados estamos de volta, procurando sempre deixar algo que ajude a todos a ter uma vida mais piedosa e parecida com Cri...

Estamos de volta



Após alguns meses parados estamos de volta, procurando sempre deixar algo que ajude a todos a ter uma vida mais piedosa e parecida com Cristo.

Livros sempre foram importantes ao longo da história da igreja cristã. Desde o começo, a literatura fez parte da vida cristã. Depois dos li...

A Importância do Livro

Livros sempre foram importantes ao longo da história da igreja cristã. Desde o começo, a literatura fez parte da vida cristã.

Depois dos livros das Escrituras, um dos primeiros livros que se tem notícia, foi o chamado Didaquê. Nele seus autores procuravam abordar alguns temas importantes da vida cristã.

Com o passar dos anos outros livros surgiram, vários deles ainda publicados nos dias de hoje, tais como O Livro dos Martires, Confissões de Agostinho, O Peregrino de John Bunyan, As Institutas da Religiao Cristã de João Calvino, dentre muitos outros que marcaram a história de literatura cristã.

Por meio da literatura o homem tem a oportunidade de estudar, conhecer a Deus e aplicar em sua vida diária.
Ainda hoje, o livro oferece ao cristão uma tremenda oportunidade de crescimento na vida cristã. Bons livros ajudam os crente a amadurecer, crescer com o Senhor e ter uma vida que O honre.
Os livros nos ajudam a pensar, analisar, crescer e aprender mais. Ler boa literatura é um hábito que todos os crentes deveriam ter.
No mundo da internet, da era digital, o livro ainda tem o seu espaço, e creio que ainda é um dos meios mais eficazes de aprendizado.
Podemos desfrutar desta oportunidade com sabedoria, usando bem as habilidades que Deus nos confiou, os recursos dados por ele, o tempo que temos disponível, para lermos.
Portanto, vale a pena ler, estudar e aprender mais, mas principalmente, a leitura de livros que edificam, livros com boa teologia e que se amparam nas Escrituras.

Moody foi o evangelista de maior projeção do século XIX. Calcula-se que ele tenha pregado para mais de cem milhões de pessoas na Grã-Bretan...

Moody, uma biografia


Moody foi o evangelista de maior projeção do século XIX. Calcula-se que ele tenha pregado para mais de cem milhões de pessoas na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos.
Usado por Deus de maneira extraordinária, seu caráter e zelo continuam mais vivos que nunca. Nesta biografia clássica, John Pollock conseguiu captar a personalidade contagiante de Moody e certamente incendiará os corações dos leitores.

Moody nos deixou um grande legado. Conhecer a sua vida e como Deus o usou na Sua seara enriquecerá e o estimulará a viver para Deus.

Veja mais desta revista: Moody, uma biografia

ou visite o nosso site: Biblioteca Evangélica


Voltando ao nosso tema. Aqui vai mais uma característica de um bom professor. Disciplina . Esta é uma palavra importante e muitas vezes m...

Características de Um Bom Professor - Disciplinado 1 Parte


Voltando ao nosso tema. Aqui vai mais uma característica de um bom professor.

Disciplina. Esta é uma palavra importante e muitas vezes mal entendida. Quando pensamos em disciplina, geralmente pensamos em castigo. É verdade que em seu escopo o conceito de castigo está incluído, mas ela vai muito além disto. Ao falar de disciplina, na Bíblia, o seu campo semântico é muito mais amplo e alcança vários aspectos da vida cristã.

Portanto, ao falar de disciplina, estamos pensando em uma atitude de submeter-se a um regulamento, ou seja, uma pessoa que é moderada por algo, obediente e submissa à algumas leis.

De certa forma, todo o ser humano pode ou não ser disciplinado. Existem pessoas que não são crentes em Cristo e tem uma vida bem organizada, regrada. Sua vida, suas coisas pessoais, seu trabalho podem, ser disciplinadas.

Então, o que difere um do outro?

A grande diferença é a razão pela qual ela é disciplinada. Alguns procuram levar uma vida disciplinada com o objetivo de agradar alguém, conseguir algum benefício temporal, ou mesmo por um motivo religioso qualquer. Estes são alvos humanos, muitos louváveis, mas nem sempre os mais sábios.

O crente em Cristo pode e deve ser uma pessoa disciplinado por um motivo muito superior, que, de certa forma, engloba todos os outros listados acima. A grande motivação para um crente em Cristo ser disciplinado esta relacionado ao seu relacionamento com Deus. Este relacionamento deve ser a motivação maior pelo qual ele é disciplinado. Em outras palavras, minha disciplina pessoal deve procurar acima de tudo agradar a Deus.

O apóstolo Paulo é um bom exemplo disso. Antes de conhecer a Cristo no caminho de Damasco, ele poderia ser considerado um homem bem disciplinado:

"Bem que eu poderia confiar também na carne. Se qualquer outro pensa que pode confiar na carne, eu ainda mais: circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu, quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível.
Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé; para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte; para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos. Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." - Filipenses 3.4-14

Vejam o que ele diz nesta passagem. No primeiros versos, ele fala de sua vida antes de conhecer a Cristo. Ele destaca a sua posição social (da tribo de Israel, hebreu de hebreus, fariseu), bem como destaca também a sua vida disciplinada usando duas palavras: zelo e irrepreensível.

Podemos falar com certeza que Paulo era um homem disciplinado. Estas palavras indicam isso.

Mas o texto não para por aí. Ele mostra que tudo o que ele era, e tudo o que ele fazia, com tamanha dedicação (disciplina), não serviram para nada. Foi um tempo perdido. Usou sua mente, suas forças de modo inútil. Sua conclusão é clara: "o que para mim era lucro, isso considerei perda...considero como refugo..." (v.8).

Diante de uma nova realidade, o conhecimento de Cristo, todas as outras coisas perderam o seu valor. Paulo não deixou de ser disciplinado. Agora, o seu alvo mudou. Como ele mesmo diz: "perdi todas as coisas para ganhar a Cristo.....e ser achado nele...para o conhecer...conformando-me com ele." (v.8-10). A vida disciplinada de Paulo tinha o alvo de agradar ao seu Senhor, de viver para Ele, de obeder-lhe.

Portanto, o professor como crente em Cristo deveria pensar em termos de disciplina, não como um alvo em si, mas antes, como um meio de agradar a Deus, procurando em tudo se conformar com ele.

No próximo post, darei algumas dicas de como isso pode ser feito.

Este livro é muito precioso, pois conta a história de um dos pioneiros na evangelização do Brasil, o Dr. Kalley. Ele ousou desafiar os pode...

Jornada no Império


Este livro é muito precioso, pois conta a história de um dos pioneiros na evangelização do Brasil, o Dr. Kalley.
Ele ousou desafiar os poderosos de uma época, colocando em risco a sua própria vida, por amar ao Senhor Jesus e às almas perdidas.Uma das maiores e mais desafiadoras e emocionantes biografias missionárias, que narra os esforços do escocês, Dr. Kalley, que em meio a perseguições e dificuldades aparentemente instransponíveis, pregava ousadamente a Palavra de Deus nas ruas ensolaradas do Rio de Janeiro.
Esta é uma obra que todo o cristão brasileiro deveria ler, pois ela conta a história de um dos pioneiros na pregação do evangelho aqui no Brasil.

Dr. Kalley foi um dos primeiros missionários a investir no Brasil, na mesma época que William Carey foi para a Índia, Adoniram Judson para a Birmânia e Livngstone para a África.
Ele dedicou a sua vida em duas localidades, a ilha da madeira e mais tarde ao Brasil, onde fundou a igreja Congregacional. Seu trabalho pioneiro é marcante na história do evangelho no Brasil.
Saiba mais dete livro: Jornada no Império
Conheça também outros livros visitando o site: Biblioteca Evangélica

Andrew Murray escrevendo sobre a Videira Verdadeira (João 15). Para lembrarmos um pouco quem somos e que Ele é: "Que eu escute e creia...

Andrew Murray escrevendo sobre a Videira Verdadeira (João 15). Para lembrarmos um pouco quem somos e que Ele é:

"Que eu escute e creia ate que todo o meu ser grite: "Jesus para mim é de fato a Verdadeira Videira que me sustenta, nutre, supre do que preciso, usa e me enche plenamente para que eu produza frutos em abundancia". Então não terei medo de dizer: "Eu sou de fato um ramo de Jesus, a Verdadeira Videira, permanecendo nele, repousando nele, esperando por ele, servindo-o e vivendo só para que ele, também por meu intermédio, possa exibir a riqueza da sua graça e doar seu fruto a um mundo que esta perecendo" [...] É do meu interesse, é questão de honra ter-te como ramo frutuoso. Apenas permanece em mim. És frágil, mas sou forte; és pobre, mas sou rico. Apenas permanece em mim; entrega-te por inteiro aos meus ensinamentos e domínio. Simplesmente confia no meu amor, na minha graça, nas minhas promessas. Apenas acredita que eu todo teu; eu sou a Videira, to és o ramo."
Extraído do livro A Bíblioteca de C.S. Lewis, pag. 105
Veja mais a respeito deste livro: A Bíblioteca de C.S. Lewis

Este livro faz parte da série 101 Idéias Criatvas, do professor David Merkh, do Seminário Bíblico Palavra da Vida. Nele você encontrará div...

101 Idéias Criativas para Professores


Este livro faz parte da série 101 Idéias Criatvas, do professor David Merkh, do Seminário Bíblico Palavra da Vida.
Nele você encontrará diversas dicas para melhorar a sua aula, desde captações, atividades, estilos de aula e apresentação.
Todos aqueles que estão envolvidos no ensino em sua igreja local apreciaram muito este livro com as suas idéias e dicas.
Caso queira ver mais sobre este livro acesse:
ou então acesse o site: Biblioteca Evangélica

Esta é a caracteristica mais importante de uma pessoa que se dedica a ensinar a outros. O seu primeiro relacionamento é com a pessoa de Deus...

Caracteristicas de Um Bom Professor - Temente a Deus

Esta é a caracteristica mais importante de uma pessoa que se dedica a ensinar a outros.
O seu primeiro relacionamento é com a pessoa de Deus. Este relacionamento é fundamental para a sua vida pessoal como para a vida de seus ouvintes.
Há muita confusão a respeito do que seja temor do Senhor. Muitos imaginam que temor a Deus significa alguma reverência à pessoa de Deus e somente isso. Entretanto, a Bíblia tem muito a dizer a respeito deste importante conceito do temor a Deus.
A palavra usada na Bíblia para temor é muito importante e ocorre mais de 300 vezes somente no Antigo Testamento.
Esta palavra tem cinco características:
  • Medo (temor, pavor) - ela foi usada várias vezes nas Bíblia para descrever medo, temor, tremor, horror - Dt 5.5; Sl 55.5, Ex 20.18
  • Inquietação - ela também uma inquietação, previsão do mal. Descreve a atitude de uma pessoa que fica receosa diante de algo ruim, ou mesmo de uma pessoa - Gn 31.31; 1Sm 7.7
  • Reverência - envolve uma atitude de respeito e deferência para com a pessoa de Deus e autoridades - 1Sm 12.24; Sl 5.7
  • Piedade - a piedade é marcada por atitudes que agradam a Deus - Jó 4.6; 15.4; Lv 19.14
  • Adoração - adoração como estilo de vida, geralmente usada para a adoração no templo - Dt 14.22-23
Tendo estes conceitos gostaria de propor uma definição de temor a Deus:

O Temor ao Senhor é uma escolha de coração que revela um santo medo e inquietação para agradá-Lo em minha vida diária, por meio de uma adoração reverente e piedosa em meu dia a dia.

Portanto, um bom professor é aquele que desenvolve um relacionamento constante com Deus.

Quando pensamos em ensino geralmente pensamos nos nossos alunos, na matéria, no material que usaremos, porém nos esquecemos completamente qu...

Características de Um Bom Professor - Referencial

Quando pensamos em ensino geralmente pensamos nos nossos alunos, na matéria, no material que usaremos, porém nos esquecemos completamente que a pessoa do professor é também muito importante para uma boa aula.

A partir deste post veremos algumas caracteristicas de um bom professor.
Um bom professor é um referencial, um bom exemplo para os seus alunos.

Antes de tudo o professor é um modelo, um exemplo a ser seguido. É muito importante o conteúdo de sua matéria, mas também a sua vida é importante.

Em sua carta a Timóteo Paulo o exorta para que ele seja um padrão em todas as áreas de sua vida (1 Tm 4.12). Mais adiante ele o alerta para que Timóteo tenha cuidado com a sua doutrina e com a sua vida (1 Tm 4.16).
Não podemos dissociar aquilo que falamos daquilo que vivemos.
Nossa vida está relacionada ao que falamos. Quando isso não acontece somos hipócritas querendo enganar aos outros.
Em 1 Corintos 11.1 lemos: “sede meus imitadores, como eu sou de Cristo”. Paulo era o exemplo para os seus discípulos – ele imitava Cristo. Este versículo está no contexto em que ele fala que tudo o que fizermos deve ser feito para o Senhor.

O próprio Senhor Jesus ensinou muitas coisas aos seus discípulos pelo seu exemplo pessoal (Lucas 11.1 a 4).
Eis alguns exemplos de um bom referencial:
  • Tenha uma vida de piedade, de acordo com aquilo que ensina;
  • Seja sábio no falar, tanto em sala de aula, quanto fora;
  • Procure estudar as lições para si mesmo, e bem como para os seus alunos;
  • Seja humilde e não dono da verdade em sala de aula;

Neste mês iremos falar um pouco sobre algumas caractetiristicas de um bom professor da Bíblia. Esperamos que estas dicas o ajudem bastante....

Caracteristicas de Um Bom Professor

Neste mês iremos falar um pouco sobre algumas caractetiristicas de um bom professor da Bíblia.

Esperamos que estas dicas o ajudem bastante.

Como podemos compartilhar o evangelho com clareza para que pessoas venham ao encontro de Jesus? Algumas dicas são importantes tiradas do ex...

Compartilhando o Evangelho

Como podemos compartilhar o evangelho com clareza para que pessoas venham ao encontro de Jesus?

Algumas dicas são importantes tiradas do exemplo de Jesus em seus ensinos e pratica.

Ore Especificamente

Um antigo ditado nos diz o seguinte: “Antes de falar de Jesus para as pessoas, fale das pessoas para Jesus.”

Orar nos ajuda, fortalece e recorda-nos que dependemos de Deus em tudo.

Três coisas podemos pedir a Deus:
  • Oportunidades onde você possa compartilhar o evangelho com os seus amigos – Col 4.2-4
  • Ousadia para testemunhar. Os crentes do Novo Testamento entendiam isto – At 4.23-33
  • Sabedoria para falar do evangelho. Cada pessoa é diferente, age de modo diferente, e para isso precisamos ter sabedoria –Jo 16.13

Faça um cartão com o nome de seus amigos e ore especificamente por eles com regularidade. Se ele passar uma dificuldade ore por isso. Se possível, comunique ao seu amigo que você está orando por ele.

Compartilhe com alguns amigos crentes para que vocês orem juntos por esta pessoa.

Aproveite as oportunidades

Se você está orando, com certeza Deus lhe dará oportunidades para que compartilhe o que Jesus é o que tem feito em sua vida, portanto, esteja atento.

As oportunidades surgem quando menos esperamos – 1Pe 3.15

Estude a Bíblia.

Aprenda mais do plano de salvação. Veja como Jesus falou com pessoas diferentes.
Compre livros que falam do assunto e pergunte a pessoas da igreja como elas testemunham.

Forneça literatura

Folhetos, livretos sobre a salvação, qualquer material que fale a respeito da salvação.
Livros de testemunho também ajudam muito, pois relatam experiências de vida.
Mas tome cuidado! Leia tudo antes de dar ao seu amigo, para que você não fique sem saber o que falar. Ao dar um livro você tem a oportunidade de perguntar o que ele tem achado da literatura, e com isto criar um “gancho” para conversar com seu amigo.


Se disponha a estudar a Bíblia juntos

Se ele tem interesse, se ofereça para estudar a Bíblia juntos.
Procure o pastor de sua igreja e peça que ele lhe forneça um bom estudo bíblico com questões básicas, tais como: quem é Jesus? De onde viemos? O que o pecado? Por que precisamos da salvação?
Mas é importante que você estude bem antes do encontro, para não falar besteira, nem perder tempo com outros assuntos.
Se ele fizer perguntas que você não sabe, não tenha medo de dizer: não sei. Mas proponha que irá estudar e lhe trazer a resposta.

Convide para ir a igreja

Convide-o para retiros, programações especiais e outros eventos.
Ofereça um jantar em sua casa, num lugar tranqüilo onde você poderá falar melhor do que Deus tem feito em sua vida.


Não o engane, seja honesto com suas intenções, ou seja, lhe explique que o está convidando para sua casa e que lá gostaria de partilhar de algo muito precioso para você.

Mas o que falar?

Fale da salvação.

Não entre em outros assuntos que podem desviá-lo do caminho.
Ele não precisa saber tanto sobre as diferentes igrejas, mas precisa entender que precisa com urgência de Jesus em Sua vida.

Não entre em discuções.

Elas são uma avenida interminável que nunca voltam ao bom caminho. Nosso desafio é transmitir as boas novas, não discutir religiões - 1 Co 15.1- 4

Tenha um esboço

Se possível coloque em sua Bíblia um esboço com as principais passagens bíblicas a respeito de cada assunto. Existem bons folhetos que trazem uma explicação da salvação.
Não aumente nem diminua, simplesmente compartilhe o evangelho.
Leia e explique todas as passagens com ele.

Faça perguntas objetivas

Uma dos fatores mais importantes na evangelização é a arte de fazer boas perguntas.
Use perguntas tais como: “O que você entendeu deste texto?” “O que significa morte para você?” – Estas perguntas exigem que responda o que ele pensa ou o que entendeu.
Evite perguntas fechadas, tais como: “Você conhece Jesus?” ou “Você gostou do estudo?” Estas são perguntas que só se obtém um “sim” ou um “não” como respostas.

Não tenha pressa, seja sábio

Aprenda a andar nos passos de Deus.
Conheço um homem que durante sete anos testemunhou semanalmente a uma família.
Deixe Deus trabalhar. Ele sabe trabalhar como ninguém nos corações das pessoas.
Simplesmente testemunhe o que Deus fez em sua vida.

Mantenha contato

Mesmo que seu amigo não tome nenhuma decisão por Jesus a amizade é importante. Ela é um ótimo meio de demonstrar o amor de Deus. Pode ser este um primeiro passo, ou uma semente que brotará mais tarde.

Enquanto isso, ore por ela, pedindo que Deus fale ao seu coração.
Sempre que possível, desafie-o com aquilo que ela já ouviu.

Não desanime

Não sabemos quais serão as reações das pessoas.
Precisamos aprender a depender de Deus e ter a perseverança.
O testemunho cristão é um desafio e um ato de obediência a Deus.
Cristo prometeu estar ao nosso lado todos os dias, para que testemunhemos de acordo com a Sua vontade.

Esteja afiado

Compartilhar é Sua responsabilidade e quem convence é o Espírito Santo – João 16.7-11
É necessário, portanto estar em comunhão com Deus, não tendo pecados em sua vida que impedem sua atuação.

Faça um “check-up” de sua vida e veja se não há nada que impede a atuação de Deus – 1 Jo 1.5 a 2.1

Vamos a obra?

Deus deseja usá-lo! Esteja sempre disposto, pronto para testemunhar.

E lembre-se: Você é o método que Deus escolhes para testemunhar do Seu amor pelas pessoas perdidas deste mundo.

Se olhassemoos para as igrejas que existem hoje em dia e perguntássemos para que ela serve, teríamos uma grande variedade de respostas, como...

Qual o Propósito da Igreja?

Se olhassemoos para as igrejas que existem hoje em dia e perguntássemos para que ela serve, teríamos uma grande variedade de respostas, como por exemplo:
  • A igreja existe para louvar a Deus
  • A igreja existe para consolar as pessoas e dar esperança
  • A igreja existe para trazer a justiça social
  • A igreja existe para levar o evangelho aos perdidos
  • A igreja existe para ser um farol na comunidade
  • A igreja existe para apoiar causas nobres


Mas afinal de contas, qual o papel da igreja nesta sociedade, o que Deus espera dela? O que a Bíblia tem a dizer? A Bíblia fala de modo bem claro a respeito da igreja, do seu papel, do seu propósito aqui na terra. No texto conhecido como a grande comissão, encontramos ali o que Jesus esperava da igreja, quais era o seu propósito para ela.

"Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado; e eis que estou convosco todos os dias, até a consumação do século." - Mateus 28.19-20

Este é um dos últimos encontros do Senhor Jesus com os seus discipulos, antes da Sua ascenção. Ali, na Galiléia. Encontramos aqui de forma simples o plano de Deus para a sua igreja. São as últimas palavras de Jesus aos seus discipulos.


Encontramos neste texto tanto a razão fundamental pela qual a igreja deveria trabalhar. Neste texto encontramos quatro verbos importantes: ide, fazei discipulos, batizando, ensinando.

Quando estudamos a língua grega, descobrimos que este texto possui na verdade um imperativo e três partcipios. O verbo está no imperativo e os outros são consequências do primeiro.
O verbo principal deste texto não é como muitos pensam o verbo Ir, mas sim o verbo fazer discipulos. Muitas igrejas tem caído no erro de imaginar que o seu papel se resume a evangelizar, ou usando o termo, a ir pelo mundo falando de Jesus. Ir e compartilhar as boas novas fazem parte do propósito da igreja, mas não cumprem totalmente o seu papel. Quantas igrejas estão domingo após domingo "evangelizando" os seus membros e se esquecendo de alimentá-los com a verdade.

O processo de formar discipulos começa sim com o compartilhar o evangelho. Esta é uma incumbência da vida cristã pertencente a todos os cristãos. Jesus espera que tanto as nossas palavras quanto as nossas ações reflitam o seu caráter e possam levar ao mundo a mensagem da salvação. Mas quem eu evangelizarei, o indio perdido no meio da mata? É claro que ele também precisa do evangelho, tanto quanto a pessoa trabalha contigo, que é o seu visinho, ou seja, todos aqueles que estão ao seu redor e que ainda não conhecem o Senhor Jesus como Salvador pessoal.

Precisamos pensar em formas de falar, em aproveitar as oportunidades que surgem e na maneira como falamos. Isso inclui tanto uma abordagem simples, como algo mais elaborado. Pedro escreveu: "antes santificai a Cristo em vossos corações, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da vossa esperança que há em vós". 1 Pd 3.15

Deus pode usá-lo e vai usa-lo, mas para isso não se preocupe somente com as palavras, com o que vai dizer, mas também em como você vive. A sua vida também é um testemunho e fala muito. Portanto, se quer falar de coração transformado, de nova vida, pense como você vive.

Paulo ao exortar a Timóteo disse: "tem cuidado de ti mesmo e da doutrina" 1 Tm 4.16a e antes ele disse: "exercita-te na piedade" 1 Tm 4.7. Ou seja, uma vida que deseja compartilhar do evangelho deve ser uma vida que se preocupa em crescer em Cristo, em ter transformação. Não estou falando de perfeição, mas de transformação. Para tanto, ela precisa aprender a dinâmica bíblica da trasnformação em Cristo. Precisa aprender a fazer projetos, avaliar suas motivações do coração e procurar dar passos práticos de mudança.

Mas como falar? O que falar? Quando falar? e como falar? Estas são perguntas válidas e que valeriam a pena pensar um pouco sobre elas.

Num outro post iremos dar pensar em algumas possibilidades pelas quais podemos compartilhar o evangelho.

Diante da confusão teológica que se espaha pelas igrejas, vale a pena estudar este livro. Ele faz uma análise de algumas questões relevant...

Um Bom Livro - Religião de Poder


Diante da confusão teológica que se espaha pelas igrejas, vale a pena estudar este livro.

Ele faz uma análise de algumas questões relevantes para a igreja dos dias de hoje, seus métodos de crescimento da igreja, discipulado, aconselhamento, pregação à luz da revelação bíblica.

Ele aborda de forma direta e franca os movimentos modernos que tem surgido nas igrejas atuais, comparando-os com as Escrituras.
Vários autores de renome escrevem neste livro, tais como James Boice, J.I. Packer, R.C. Sproul, Alister McGrath, David Powlinson, dentre outros.

O livro é dividido em seis partes e em cada uma é avaliada uma área da igreja. Nos primeiros capítulos de cada seção há uma descrissão de diversos movimentos. No último encontramos um caminho melhor, assim chamado por oferecer uma visão bíblica do tópico em questão.

Conheça mais deste livro: Religião de Poder
ou visite o nosso site: Biblioteca Evangélica


Como a sua igreja gostaria de ser lembrada? Se uma pequena frase a pudesse descrê-la, qual seria? No Novo Testamento encontramos relatos de ...

Um bom exemplo de igreja

Como a sua igreja gostaria de ser lembrada? Se uma pequena frase a pudesse descrê-la, qual seria?
No Novo Testamento encontramos relatos de várias igrejas. Temos relato da igreja de Corinto, de Éfeso, de Tessalonica, de Roma, mas uma igreja chama a atenção de todos os estudiosos das Escrituras, a igreja de Beréia.
A igreja de Beréia é umas das comunidades que menos temos relatos na Bíblia. Encontramos uma refêrencia a ela em apenas cinco versículos do livro de Atos (Atos 17.110-15). Além deste texto encontramos a menção de dois de seus membros em uma das viagens de Paulo, Sópatro e seu Pai Pirro (At 20.4).

O surgimento desta igreja foi um daqueles "acasos do Senhor", já que aparentemente Paulo não passaria por esta cidade. Ele acabou parando em Beréia, pois fora espulso de Tessalônica.
Era uma igreja pequena, quase desconhecida, pouco falada, mas sempre bem lembrada nas Escrituras. Os poucos dias passados ali impressionaram Paulo e Silas. Mais particularmente quatro atitudes os impressionaram.

A igreja de Beréia teve uma boa atitude em relação a pregação expositiva das Escrituras
A primeira qualidade estava relacionada à atitude que eles tiveram em relação à pregação de Paulo.
“...pois receberam a mensagem...”

A palavra receber demonstra a maneira como reagiram diante da mensagem.
A igreja de Beréia foi marcante, pois recebeu a Palavra e a recebeu bem. O termo aqui usado descrevia o tratamento dado a uma pessoa que era bem recebida em sua casa. Nós sabemos como receber bem alguém ou quando somos bem recebidos. Eles tiveram uma acolhida positiva. As exortações, pregações de Paulo e Silas eram bem recebidas por aquela comunidade.

Receber a Palavra implica em obediência, em não retrucar, em não colocar os seus argumentos acima dos argumentos bíblicos. Implica em não arrumar desculpas, racionalizações para não ouvi-la.

Quantas pessoas hoje em dia saem da igreja porque não concordam com o pastor, pois querem uma pregação mais “ligth”, com menos Bíblia, ou mesmo esperam que não haja pregação, e sim muito louvor. Muitos hoje aceitam outras doutrinas, outros ensinos, mas torcem o nariz para a Palavra de Deus.
A igreja de Beréia foi lembrada por ter uma submissão às Escrituras e à sua exposição publica feita por Paulo e Silas.

Como recebemos as exortações que ouvimos domingo após domingo? Como reagimos à uma exortação amorosa de um irmão em Cristo?
A igreja de Bereia demosntrou boa disposição com a mensagem bíblica

A segunda qualidade que se destaca e fez diferença nesta igreja ainda relacionada com a vontade.
No versículo 11 diz que eles receberam com avidez.

A palavra avidez poderia ser traduzida por vontade, disposição, prontidão, desejo, ânsia. Na versão NVI ela foi traduzida assim “com grande interesse”.

Este termo é bem descritivo. Demonstra a vontade em relação à Palavra. Eles tinham interesse, disposição para aprender. Os encontros na sinagoga de Beréia para estudar a Bíblia foram tremendamente compensadores, tanto para Paulo e Silas, quanto para os ouvintes, pois havia interesse, boa vontade. Creio que isso os impressionou.

Aqueles irmãos não somente receberam bem as Escrituras, como tinham grande disposição em aprender.

Não ficavam entediados porque Paulo passara do horário, porque não tinha nenhuma animação, video ou coisa, parecida, antes, pelo contrário, tinham um grande desejo de aprender a Palavra de Deus. Quando encontramos pessoas assim, ficamos muito animados.
Como reagimos diante das exortações que ouvimos domingo, após domingo? Temos interesse, vontade de aprender, ou ficamos pensando no horário, observando as roupas que as outras mulheres vestem, no jogo de futebol, ou até mesmo na pizza que iremos comer mais à noite.

Aqueles crentes se reuniam e seu interesse era somente um: As Escrituras. A vontade de aprender da Palavra de Deus.

A igreja de Beréia estudava as Escrituras
A terceira característica desta igreja mostra o que eles faziam com o ensino ministrado na Palavra de Deus. O texto bíblico nos diz que eles se reuniam para examinar as Escrituras.

Mais uma vez, encontramos uma palavra bem descritiva. O verbo examinar era um termo legal, usado para descrever uma investigação, ou quando um juiz examina um caso.

A postura daqueles irmãos era comparável a um juiz diante de um caso, um detetive que cuidadosamente estuda as pistas, as provas que tem em mãos. Isto exige tempo, reflexão, disposição, vontade, determinação.

Aqueles homens se destacavam pelo grande interesse que tinham com a Palavra de Deus, não somente por sua leitura, mas no estudo cuidadoso e acurado da mesma.
Eles não se contentavam com as trivialidades, mas no estudo criterioso. E sabemos que todo estudo, todo bom estudo leva tempo para ser feito.

O que chama a atenção é que eram pessoas comuns, não somente os líderes que tinham este interesse, mas a comunidade como um todo.

Infelizmente hoje em dia são poucos os que tomam tempo no estudo das escrituras. Alguns imaginam que este livro é um livro para profissionais, um livro para alguns. Alguns dizem que há coisas muitos difíceis na Bíblia.

Realmente há e o próprio Pedro reconhecia isto ao dizer que há coisas que Paulo escreveu que são difícieis (2Pe 3;15-15), porém ele mesmo disse mais adiante: 2Pe 3.18 – “cresçam na graça e no conhecimento de nosso Senhor Jesus”

Certa vez o pastor Jayro Caceres disse em uma de suas mensagens: “não há nenhuma virtude na falta de conhecimento das Escrituras”. Em todos os lugares da Palavra, somos exortados a estudarmos as Escrituras. Todos os autores bíblicos nos falam desta importância.

A igreja de Beréia era constante em seu estudo da Bíblia
A quarta característica esta relacionada ao tempo. A constância também foi marcante para aqueles irmãos.

Os judeus tinham o costume de se reunir nas sinagogas uma vez por semana, aos sábados, para adorarem a Deus e estudarem as Escrituras. Eram encontros semelhantes aos nossos com algumas diferenças. Por isso que Paulo, sempre que visitava uma cidade procurava uma sinagoga, pois ali sabia que haviam pessoas que estavam estudando as Escrituras.
Mas aquelas pessoas de Beréia fugiram à regra de uma sinagoga comum e resolveram reunir-se todos os dias para este trabalho. Deixaram prioridades, gostos, diversão, descanso, para examinar a Palavra de Deus. Não sabemos se era em casa ou na sinagoga mesmo, mas eles dedicavam um tempo diário para isso.

Esta constância mostra o interesse que eles tinham pela Palavra e pelo aprendizado. Talvez imaginassem que Paulo não passaria muito tempo ali, então queriam aproveitar bem sua presença para aprender o quanto pudessem.

É interessante notar por que eles estudavam as Escrituras. Para conferir os ensinos de Paulo, não para questionar, mas para aprender. Eram criticos, não querendo achar algum erro em seu ensino, mas criteriosos.
Aqueles homens se destacavam pelo estudo constante das Escrituras.

Quando revisamos algo que aprendemos, temos a oportunidade de agredir muito mais. Há uma frase que diz que a repetição é a mãe da sabedoria. Aqueles irmãos entenderam que o tempo gasto no aprendizado das Escrituras não seria tempo desperdiçado.

Talvez não tenhamos a mesma oportunidade de nos reunirmos todos os dias na igreja para aprender da Palavra, mas temos muitos recursos que não haviam naquela época. Livros, luz elétrica, espaço, coisas que muitos deles não tinham, confortos que nos permitem nos reunir, ou mesmo estar sozinhos para estudar a Bíblia. De várias formas podemos aprender. Estudando sozinho ou em grupos, nos reunindo para aprender mais da Bíblia.

Podemos adquirir o hábito de anotar sermões para estudarmos em casa durante a semana. Ou mesmo adquirir fitas que são gravadas aqui na igreja de mensagens.

Como a sua igreja gostaria de ser lembrada?
Como uma igreja que canta bem, que tem belas pessoas? Como uma igreja que tem boas acomodações? Uma igreja que tem muitos membros?
Ou como a igreja de Beréia, com sua postura diferenciada em relação a Palavra de Deus.
“Certa vez, um famoso pastor americano viajava de trem e à sua frente ia um seminarista que lia uma revista semanal, enquanto ele estava lendo o livro de Romanos. O estudante o reconheceu e lhe perguntou como poderia comunicar com a mesma eficiência que ele. O pastor lhe respondeu:
- Meu rapaz, enquanto você estiver lendo esta revista mais do que lê este livro, terá mais conhecimento dela do que dele.”
Da mesma forma, nossa postura em relação a Bíblia está intimamente ligado ao tempo que gastamos com a mesma. Aqueles crentes foram chamados nobres, por sua postura diante da Palavra, uma postura.
O desafio de estudar a Bíblia é individual, mas os dividendos são eternos.